Meu Pai me fez de sua Amante

Depois de ler alguns contos eróticos; principalmente sobre incesto, resolvi escrever sobre o que me aconteceu a alguns anos atrás. Primeiro vou falar um pouco sobre meus pais: – Meus pais, por opção optaram dormir sempre em quartos separados; apesar de vez em quando um ir pro quarto do outro pra dar uma trepadinha… Muitas vezes ouvi os gemidos da minha mãe sendo nitidamente fodida pelo meu pai. Meu nome é Marcela e ao escrever este conto estou com dezenove anos. Lembro que era época de verão e normalmente fazia muito calor, e eu, que muitas vezes vi minha mãe saindo do seu quarto só de calcinha, também fui me acostumando dormir do mesmo jeito. Tinha começado minha vida sexual e pouco mais de três meses, e pra falar a verdade eu satisfazia muito mais meu namorado do que ele a mim… Eu só conseguia gozar quando ele chupava minha bucetinha. Meu pai que era funcionário público federal sempre viajava a serviço e ficava vários dias fora de casa. Sabendo que meu pai não estava em casa, se eu precisasse a noite ir ao banheiro ou na cozinha, não me importava de sair só de calcinha.
Nessa noite já se passava de meia noite quando fui até a cozinha tomar um copo de água gelada pra amenizar o calor, e, no exato momento que virava o copo ouvi a voz do meu pai. – Filha!!! De imediato engasguei com a água, e tossindo a primeira coisa foi colocar meu braço na frente dos meus peitos olhando assustada pro meu pai que trajava apenas o short do seu pijama e vinha andando na minha direção. Ele colocando suas mãos nos meus ombros, me deu um beijo. – Calor, né filha? – Mu… Muito!!!! Já ia sair da cozinha, e ele: – Pode terminar de tomar sua água… Também vou beber um pouco. Continuei parada cobrindo meus peitos, e ele sorrindo: – Tá com vergonha, não é? Apenas balancei a cabeça confirmando, e ele puxando meu braço e olhando diretamente pros meus peitos e continuando a sorrir: – Nossa… Tá crescendo em filha? Já está até com peitinho. Não voltei a cobrir meus peitos e mesmo estando um pouco nervosa estava gostando de ser admirada pelo papai…

Olhando pra ele. – Acho melhor eu ir; a mãe pode aparecer de repente, né? Ele descaradamente fez um leve carinho em um dos meus peitos, me perguntando: – Posso dar uma passadinha lá no seu quarto? Novamente balancei a cabeça confirmando e fui rapidamente pro meu quarto, deitando e puxando o lençol pra sobre meu corpo. Não demorou um minuto pra ele entrar, trancar a porta e vir sentar do meu lado: – Continua com vergonha? – Um pouco!… Ele foi puxando lentamente o lençol descobrindo meus seios: – Você está ficando cada vez mais linda!… Sorri e ele levando suas mãos segurou meus dois seios e ficou fazendo uma leve massagem: – Gosta? – Hanrãmmm!!! Ele reclinou e passou a língua no biquinho do peito que estava rígido antes de dar uma gostosa chupadinha: – Nossa papai!… Ele deu mais algumas chupadinhas alternando os seios, e antes de levantar pra sair do meu quarto: – Segredinho nosso, ok? – Ok!… Ele mesmo sabendo que eu olhava pro seu short e pro volume que aparecia na frente, levantou e ficou parado por alguns segundos me deixando perceber que ele estava bem excitado. Ele saiu do quarto e eu fiquei pensando no que ele tinha acabado de fazer comigo, e instintivamente levei a mão na minha xoxota descobrindo que também tinha ficado excitada. Eu que vivia tocando siririca, fiquei passando o dedo na minha bucetinha tentando imaginar meu pai pelado na minha frente. Mas ele três dias depois tornou a viajar e ficou praticamente quase duas semanas longe de casa. Quando ele voltou, comecei a sentir desejos, dele novamente chupar meus peitinhos. No sábado, esperei uns 20 minutos depois que minha mãe foi pro seu quarto dormir, e fui até a sala onde meu pai assistia TV já vestido com seu short de pijama e sem camisa. Resolvi ser bem atrevida, e trajando uma pequena camisola bem decotada fui direto sentando no seu colo. – Estava com saudades papai!… Ele me dando um beijo e logo indo com a mão na minha coxa. – Eu também fico com muita saudade sua, filha!… Recostei-me no seu peito nu, e ele levando a mão na alça da camisola fazendo-a cair de lado deixando um peitinho aparecer. – E o peitinho, tá crescendo? – Não sei papai; você acha que está? Ele passando a mão e segurando o biquinho com dois dedos. – Quer que o papai dê beijinho, quer? – Quero sim… Mas não é melhor lá no meu quarto?

– Então vai que logo chego lá, ok? Saí do seu colo e fui rapidamente pro meu quarto. Ele entrou e novamente trancando a porta sentou do meu lado. – Não quer ficar só de calcinha? Sem um pingo de vergonha, sentei na cama e tirei a camisola. – Assim papai? Ele me puxando, me abraçando, me beijando no rosto e depois descendo a boca pros meus peitinhos pra ficar chupando bem gostoso. – Huuummmm, é gostoso papai!… – Quer ficar sem a calcinha também, quer? – Que isso papai?… – Não precisa ter medo, só quero dar uma olhadinha na sua bucetinha, deixa? Logo imaginei que ele só de olhar poderia descobrir que não fosse mais virgem. – Hoje não papai… Outro dia eu deixo tá bom? Ele me dando um beijo na boca ao invés no rosto.
– Não precisa ficar com vergonha do papai não, tá bom? Resolvi olhar direto pro seu short onde nitidamente aparecia um grande volume, e ele percebendo. – Você sabe o que eu tenho aqui, não sabe? – Claro né papai… E ele tá duro, não está? – Está sim… E você sabe por que ele está duro? – Lógico que eu sei!… Ele voltando e me beijar na boca e passar o dedo sobre a calcinha onde estava minha bucetinha. – Só queria te ver peladinha um pouco filha!… – E eu também vou poder te ver pelado? – Se você quiser!… – Eu quero!… – Então tire sua calcinha que eu tiro meu short. Eu estava num grande dilema. Mas como minha curiosidade era muito grande resolvi arriscar e fui tirando minha calcinha enquanto ele ficando de pé ao lado da cama descendo seu short deixando seu pau duro aparecendo. Eu pelada, ele abriu minhas pernas e foi realmente olhar minha bucetinha abrindo os lábios vaginais com seus dedos. – Linda filha, muito linda!… Levei um susto quando senti encostando a boca e começando a lamber. – Papai, o que é isso?… Ele segurando firme minhas pernas pra que eu não as fechasse continuou lambendo, chupando e cutucando a ponta de língua no canal da minha vagina que rapidamente fui sentindo meu orgasmo começando. – Mais papai… Maaaiiiiissss… Eu vou… Voooouuuuu… Voooouuuu gooooozarrrrr!… Depois ele limpando a boca com seu próprio short, voltou a dar mais algumas chupadinhas nos meus peitos. – Safadinha você hein? Já sabe até gozar, né? Sem responder, segurei seu pinto duro e comecei a movimentar minha mão… Eu já sabia tocar punheta pro meu namorado.
– Caraca filha… Iiiisssso… Masturba o papai… Vaiiii… Vaaaaiiiiii!!!! Minha vontade era de colocar a boca como fazia muitas vezes com meu namorado. Mas logo ele começou a gemer e novamente pegando seu short foi deixando todo seu gozo cair sobre ele. Ele com todo cuidado; olhando antes, saiu pelado do meu quarto e foi pro dele.

No domingo a noite, ele novamente entrou no meu quarto e ele mesmo foi tirando minha calcinha pra cair de boca e dar uma deliciosa chupada na minha boceta que gozei feito uma égua no cio… Sem medir as consequências, resolvi e cai de boca na sua piroca e mamei com vontade até ele começar a gozar inundando minha boca de porra que tive que engolir. Depois ele me abraçando e me dando muitos beijos na boca. – Você já sabe de tudo de sexo, não é? – Bem papai… É que eu… Euuuu… Ele rapidamente levando a mão e sem que eu esperasse foi enfiando o dedo lá no fundo da minha bucetinha. – Não precisa explicar… Eu sei que você já anda namorando!… Fiquei calada olhando um pouco assustada pra ele que continuava socando seu dedo na minha buceta, me perguntou. – Amanhã você deixa o papai colocar ele, deixa? – Ele na minha xoxota, é? – É… Você vai deixar? – Vou!… Segunda, era praticamente meia-noite quando ele entrou no meu quarto e tirando minha calcinha primeiro deu umas boas linguadas na minha buceta antes de vir com seu pau duro na direção dela… Ele encostou e fui empurrando lentamente. – Devagar papai… O seu é muito grande!… Ele me penetrando e percebendo que eu estava gostando. – Do seu namorado é muito pequeno, é? – É sim papai… Mas o seu é muito mais gostoso… Mais… Maaaiiissss… Mete papai… Meeeete! Ele começando a socar e aumentando o ritmo das socadas que eu sentia seu pau duro batendo só no fundo do meu útero. – Ooooh caaaaralho filha… Que bucetinha deliiiiciosa! – Tá vindo papai… Táááá viiiiinnnnnndo… Mete… Meeeete… Aaaaahhhh… Aaaahhhhh!… – Goza filha… Goza que o papai também vai gozar… Gozei e fiquei sentindo a piroca do meu pai latejando dentro da minha buceta gozando. Duas semanas depois, ele indo em uma viagem de dois dias em São Paulo resolveu me levar junto. Logo que chegamos no hotel fomos direto pra cama onde ficamos por mais de duas horas fazendo muito sexo: Ele me chupou, chupei seu cacete e depois ele ainda teve fôlego pra me pegar de quatro e meter forte na minha buceta me fazendo gemer de prazer. Como disse, hoje tenho dezenove anos, namoro normalmente, mas continuo trepando com meu pai sempre que surge uma oportunidade… Algumas vezes, quando ele faz alguma viagem curta, ele me leva. Já conheci muitos hotéis com meu pai e a pouco tempo ele comeu minha bundinha… Amei02

Outros contos...

Comentários (0)

Somente assinantes podem deixar comentários!

Assine ou faça login para poder comentar.
21
Atrações
149
HQs
599
Vídeos
5085
Fotos
153
Atrizes
...