Soquei a Rola na Esposa do meu Tio

Ouça este conto erótico narrado:

Disponível apenas para assinantes! Assine Já

Olá, meu nome é Vagner, sou casado, mas gosto muito de aventuras ainda, quando as mulheres descobrem que sou bem dotado, perdem o limite e ficam cheias de tesão, adoro sexo. Minha mais recente aventura aconteceu na última quinta-feira, era feriado e minha esposa foi passar a semana santa com a família em outra cidade. Eu trabalhei durante a noite de quarta-feira e meu tio, que é irmão de minha mãe, me convidou a ir almoçar com ele e a família. Assim que cheguei do trabalho fui dormir e acordei às 11 horas, levantei, tomei banho, fiz a barba e depilei as partes íntimas. Quando estava me depilando, bateu um tesão grande, pensei em bater uma punheta, mas depois desisti, pensando que aquele dia merecia algo especial. E com este pensamento terminei meu banho, vesti minha roupa e fui até a casa do meu tio. Levei para ele de presente duas garrafas de vinho. Família reunida, todos em confraternização, o almoço foi servido, todos beberam vinho e refrigerantes. Ficamos conversando até de tardinha e logo as pessoas se despediam, indo para casa. Meu tio, um coroa muito conversador, não parou de beber em momento algum, até que a esposa dele alertou que o tio poderia ficar bêbado, fato que ele ignorou, dizendo que estava em casa e, se passasse mal iria dormir.

Assim ficamos conversando, até que todos foram embora, ficando apenas eu, meu tio e a esposa dele, uma loira muito bonita de corpo, cabelos curtos, marquinha de biquíni e com uma bunda bem gostosa. Depois que já começou a escurecer, meu tio ficou completamente bêbado, ele levantou para ir ao quarto e cambaleou caindo sobre o sofá. A esposa dele, que vou chamar aqui de Letícia, pediu para que eu ajudasse a levar meu tio para a cama, então fomos segurando ele até o quarto e lá deitamos ele. Então Letícia e eu saímos e fomos para sala, ela agradeceu pela ajuda e disse que iria fazer um café. Aceitei o café que ela trouxe quentinho e começamos a conversar, ela disse que gosta muito do meu tio, mas quando ele começa a beber, só para quando não aguenta mais. Ela disse que eu poderia dormir lá e que pela manhã já aproveitava e conversava com meu tio. Concordei, já que minha esposa estava viajando. Letícia disse que eu teria que dormir no sofá da sala e questionou se eu me incomodaria com isto. Eu disse que de forma alguma, que ficaria vendo TV até pegar no sono.

Assim nos despedimos e ela foi tomar banho para ir dormir. Ouvi o barulho da água no banheiro e fiquei imaginando a água escorrendo por aquele corpão e isso me causou uma breve ereção, tentei desviar os pensamentos e fui dormir. Já bem tarde da noite, eu estava dormindo e percebi uma mão acariciando meu cacete. Abri os olhos lentamente e vi a esposa do meu tio sentada no chão ao lado do sofá. Perguntei o que aconteceu e ela disse que não conseguia dormir, pois ficava pensando em mim e estava carente de sexo, mas jamais havia traído meu tio. Respondi:                                                    -Tudo bem Letícia, eu entendo, mas você assim com esta camisola fina, que me deixa com tesão, podemos acabar transando, é isto que você quer? Ela disse que nunca havia traído meu tio, mas que estava muito carente, ainda mais que ouviu o marido falar com o irmão que eu era bem dotado, e que havia ficado curiosa. Então me perguntou se era verdade que eu tinha um pau grande.   -É verdade mesmo? Posso ver?                                                          -Sim, mas não serei responsável por mais nada!   -Tudo bem, eu me responsabilizo pelo que acontecer.
Logo ela pegou em minha mão, me levou até um quarto que estava vago, entramos rapidamente e ela fechou a porta. Abaixei a cueca box e os olhos dela arregalaram quando, de dentro da cueca, surgiu um cacete grosso de 24 cm, cheio de veia e uma cabeça bem larga, não quero me vangloriar, mas são 24 centímetros de puro tesão.

Ela ficou admirando por alguns minutos e logo segurou com uma das mãos e abocanhou. A boca quase não cabia, mas com jeitinho ela começou a me pagar um boquete delicioso. Tirava meu cacete da boca, lambia por fora e depois metia a boca de novo no cacete, o deixando todo babado, uma delicia de boquete! Eu apertava os seios dela, segurava na cabeça e mexia com os quadris metendo o cacete até onde ela deixava, teve momentos em que ela até engasgou, e sorrindo tirou meu pau dizendo que é duas vezes maior que o do marido dela. -Ah é, safadinha? Então aproveita e mama gostoso.          Foi aí que ouvimos um barulho vindo do quarto do meu tio. Ela se assustou e disse que ia ver o marido, eu fui junto mesmo com a piroca balançando fora da cueca. Ele ainda estava dormindo, só havia tossido e mudado de posição na cama. Voltamos e ficamos na janela do quarto.                                      Letícia se apoiou na janela do quarto, eu me abaixei e dei uma chupada gostosa na xoxota meladinha, não demorou muito até eu sentir que ela gozou, uma delícia!! Foi aí que ela abriu a janela lentamente, ficou apoiada como se tivesse de quatro e eu fiquei atrás dela metendo meu pau na bucetinha com força. Ela gemeu dizendo que eu estava arrombando com ela, sorrimos, nos beijamos e voltamos a meter gostoso. Soquei por mais de dez minutos sem parar, até que percebi que iria gozar, então dei mais umas estocadas com força, tirei o cacete e gozei nos quadris dela. Ficamos abraçados alguns minutos, o dia já amanhecia, então fui tomar banho.                                                                                                                                                                    Saí do banho e me despedi da mulher do meu tio, já imaginando como seriam as próximas festas em família…

Outros contos...

Comentários (0)

Somente assinantes podem deixar comentários!

Assine ou faça login para poder comentar.
21
Atrações
149
HQs
586
Vídeos
5099
Fotos
155
Atrizes
...