Virei Amante do meu Enteado

Me chamo Joana, e com 37 anos me divorciei para me casar novamente com meu patrão (Dr. Juvenal – 58 anos, dono de uma grande imobiliária). No fundo eu procurava por uma vida um pouco mais tranquila, que meu EX não me proporcionou por ser um vagabundo cheio de vícios (jogos e drogas). Cansei de lhe colocar chifre, inclusive com o Dr. Juvenal quando me pedia pra ficar no escritório até um pouco mais tarde. Só que Juvenal tinha um filho adolescente (Pedro) que parecia não aceitar meu relacionamento com seu pai. Mesmo antes de me casar fui morar com ele, e notava que Pedro evitava ficar perto de mim. Parei de trabalhar, e mesmo na minha idade voltei pra faculdade de direito. Tentava achar um jeito de conquistar aquele moleque, mas sempre ele me deixava no “vácuo”. Juvenal estava viajando, e eu estava voltando da faculdade, assim que entrei em casa, Pedro veio me entregar meu celular que eu tinha esquecido sobre a mesa da sala. Logo senti um frio na barriga, pois me lembrei que minha última conversa pelo WhatsApp tinha sido com um dos que foi meu amante (Roberto), em uma conversa recheada de lembranças que tínhamos feito frequentando motéis. Ao ver o sorriso maroto no rosto do Pedro, desconfiei que ele tinha mexido no meu celular que não tinha senha.
– Você andou olhando meu celular?
– Kkkkkkkk… O bastante pra ver que você anda querendo enganar meu pai.
– Não! Jamais eu enganaria seu pai!…
– E esse tal de Roberto? Parece que vocês são bastante íntimos!
– Pelo amor de Deus Pedro, você está confundindo as coisas.
Quando ele disse que tinha copiado várias conversas e fotos minhas com outros homens, minhas pernas tremeram.
– Que fotos?…
– Parece que você gosta de trocar fotos de nudes, né?
Comecei a ficar apavorada, pois realmente mesmo quando já estava com o Juvenal andei trocando algumas fotos pelada; mas sem mostrar o rosto, com pelo menos dois dos meus antigos amantes.

Pedro foi caminhando para seu quarto. Entrei junto e sentando na cama pedi pra ele me escutar. Comecei a contar superficialmente meus problemas com meu ex-marido, e como acabei arrumando amantes, e aquelas fotos foram dessa época e por falta de conhecimento acabei esquecendo de apagá-las do celular. Ele sorrindo novamente com aquela cara de safado.
– Pelas conversas que li, você gosta de ser bem puta na cama, né?
Tomei coragem e acabei confessando que fazia aquelas coisas mais pra me vingar do meu marido na época, e implorei pra ele não contar pro seu pai. O filho da puta foi botando o seu pau duro pra fora da calça.
– Não conto se você fizer um boquete em mim!…
Olhei aquele pinto duro e rapidamente virando o rosto.
– Não faça isso Pedro. Desde quando vim morar aqui, jamais voltei a encontrar com outro homem.
– Mas pelo que entendi, você gostava de chupar esse tal de Roberto, não é?
Levei a mão naquela piroca, que até era bem desenvolvida pela idade dele.
– Posso fazer um carinho; mas chupar não posso!…
O pinto daquele moleque parecia ser de ferro de tão duro. Movimentei minha mão por alguns minutos fazendo-o gemer, quando ele me fez um pedido: – Queria me ver completamente pelada. Tentei argumentar, mas devido a ameaça que me fez de mostrar tudo pro seu pai, acabei cedendo.
– Tá bom! Você jura que depois você apaga tudo?
– Juro!…
Nunca tive problema em ficar pelada na frente dos meus amantes; o problema era ficar na frente daquele moleque que podia prejudicar minha vida completamente, me fazendo voltar a ser apenas uma mulher sem “eira de beira”. Mas tomando coragem resolvi fazer daquele moleque o meu aliado junto ao seu pai.

Primeiro fiquei nua da cintura pra cima mostrando meus fartos seios, que o moleque foi logo caindo de boca e mamando como se tivesse muita intimidade comigo. Estava fazendo um esforço tremendo pra não demonstrar que estava gostando, mas quando ele além de chupar me fez novamente segurar seu pau duro fui me entregando.
– Oooooh! Ooooooooh! Chuuuuupa! Chuuuupa seu safado!…
Ele largou do meu peito pra beijar minha boca numa volúpia tão grande que também acabei aceitando e correspondendo. Mas ele não satisfeito pediu pra que tirasse o resto das minhas roupas, e já sentindo minha buceta ficando encharcada acabei fazendo sua vontade. Completamente nua, me fez deitar na cama, e achando que ele ia logo pros finalmentes o bandido enfiou a cara do meio das minhas pernas começando a chupar minha buceta com tanta vontade que passei a urrar feito uma cadelinha no cio. Estava prestes a ter um orgasmo, quando o filho da puta parou de chupar minha buceta pra me mandar ficar de quatro. Fiquei e ele ao invés de meter logo ficou pincelando seu pau na portinha da minha buceta.
– Vai Pedro ! Vai! Mete esse pau em mim, mete! Não é isso que você quer?…
Ele deu uma estocada tão forte que logo senti seu corpo batendo na minha bunda.
– Caralho Joana, que buceta gostosa que você tem!…
Nas primeiras socadas fui liberando meu orgasmo que estava reprimido, gemendo feito uma puta.
– Meeeete! Nãããoooo paaaara! Vouuuuuu gooooozarrrrrr!!!!
Ele passou a socar com mais força e ainda a dar palmadas na minha bunda.
– Isso sua putona, goza no meu pau goza!…
Gozei muito, e pra minha surpresa ele continuou metendo por ainda vários minutos demonstrando ser o melhor amante que tive até aquele momento, que acabei tendo um segundo orgasmo bem mais escandaloso.
– Aaaaaahhhh! Aaaaahhhhh! Tô gooooozannnnnnnnndo!!!!!

Ele dando mais algumas socadas, parou e uivando feito um animal também gozou enchendo minha buceta com seu líquido quente e pegajoso, que logo que ele tirou da minha buceta senti começando a escorrer pela minha perna. Passei a mão nas minhas roupas e saindo do quarto fui direto pro banheiro me limpar. No banho comecei a pensar como um garoto tão novo pode me dar tanto prazer… Até então só tinha transado com homens acima dos 25 anos. De repente batidas na porta.
– Abre pra mim Joana!…
– Já fiz o que você me pediu… Espero que você cumpra o que combinamos.
Ele mexia insistentemente na maçaneta.
– Já apaguei do meu celular; depois te ensino a limpar também no seu.
Mesmo com o corpo molhado resolvi abrir a porta… Eu nua e ele também ainda pelado.
– O que você quer?…
Ele me agarrou me beijando na boca e apalpando minhas nádegas.
– Só queria te ver pelada mais um pouco!…
Olhei pra baixo e notei o filho da puta de pau duro de novo.
– Mas você está me agarrando, e não olhando!…
Depois, ele colocou a boca em um dos meus peitos e a mão na minha buceta.
– Prometo que não vou mais implicar com você e o meu pai.
– Vai mesmo? Posso acreditar em você?…
– Mas você tem que prometer ser sempre boazinha comigo.
– Mas isso é perigoso, seu pai pode desconfiar!…
Ele colocou seu pau duro no meio das minhas pernas.
– É só a gente tomar cuidado que o velho nunca vai perceber nada, ok?…
– Ok então!…

Me mandou entrar novamente no Box, me apoiar na parede e abrir minhas pernas. Assim que fiquei na posição ele colocou seu pau na minha buceta e novamente enterrou tudo e ficou por vários minutos socando… Tive meu terceiro orgasmo com aquele moleque, que continuou me fudendo até novamente gozar e encher minha buceta de porra.
Juvenal chegou bem cedo da viagem, no quarto me deu uma montada rápida sem esperar eu gozar, tomou um banho rápido, tomou café e foi logo para imobiliária. Quando Pedro chegou na cozinha, disse-lhe que o pai já tinha chegado e ido trabalhar, ele passou a mão na minha bunda.
– Dá uma chupadinha no meu pau, dá?…
– Que isso Pedro? Isso eu não vou fazer!…
– Pô Jô, na conversa com aquele tal de Roberto, você disse que gostava de chupar!
– Mas você é como se fosse meu filho, entende?
Ele tirando seu pau pra fora e sentando sobre o tampo da mesa.
– Só dessa vez minha deliciosa Madrasta, depois não vou mais pedir pra você chupar.
– Tá bom, vou chupar só hoje!…
E cai de boca naquele lindo pau duro adolescente, e como realmente eu gostava de chupar uma piroca chupei tanto que até babava no pau do meu enteado. Notando que ele ia gozar, tentei tirar minha boca, mas ele segurando minha cabeça me obrigou a beber praticamente até a última gota.
Fiquei muito apreensiva por alguns dias, mas fui percebendo que Pedro sabia disfarçar quando estava na frente do pai, e só me fodia quando tínhamos certeza de que não tinha nenhum perigo em sermos descoberto… Estava adorando ter meu enteado como meu amante.
E gostoso era quando Juvenal viajava e ficávamos às vezes até dois dias sozinhos em casa. Sem nenhum escrúpulo chupava a piroca do Pedro que também adorava chupar minha buceta, além de me foder bem gostoso. E não demorou muito pro safado que adorava ficar alisando minha bunda na cama, ficar de olho no meu anel traseiro. Juvenal acabou de sair de casa pra mais uma viagem, estava dando uma arrumada na cozinha quando Pedro entrou e sabendo que o pai já tinha saído deu alguns tapinhas na minha bunda, levantou minha camisola, desceu a calcinha até tirá-la. Depois como pau pra fora começou a esfregá-lo no meu traseiro.
– Hoje eu quero o seu cuzinho!…
– Até isso seu tarado, não tem vergonha não?…
– Quem manda você ser tão gostosa e ter esse rabo maravilhoso?
Encostada na pia, pois ele continuava esfregando seu pau na minha bunda, levantei a camisola.
– Enfia devagar, tá bom?…
Foi a primeira vez que alguém usou manteiga pra transar comigo. Pedro passou manteiga na ponta do seu pinto, e depois de passar sobre meu ânus, encostou e forçando foi fazendo seu pau ir entrando pra dentro do meu corpo. Novamente foi o melhor amante que comeu minha bunda, me dando um prazer sem igual.
Consegui meu objetivo de me casar com o Juvenal, e ainda sortuda em ter um maravilhoso amante como o meu enteado… Continuamos tomando todo cuidado para não sermos descobertos.

Outros contos...

Comentários (0)

Somente assinantes podem deixar comentários!

Assine ou faça login para poder comentar.
21
Atrações
149
HQs
599
Vídeos
5085
Fotos
153
Atrizes
...