Irmãs Gêmeas Trocando de Parceiros

Sou a Natália, minha irmã se chama Isadora, somos gêmeas, morenas altas e magras, cabelos compridos, rostos bonitos, olhos verdes, boca carnuda, peitos grandes e durinhos, pois colocamos silicone, bundas redondinhas, coxas e pernas bonitas, 28 anos. Sou casada há 4 anos com o Ramon, ele tem 27 anos, moreno e bonitinho. O que vou relatar a vocês é uma relação de poli–amor. Eu e meu marido moramos em Santo André/SP, minha irmã e o noivo Lucas moram em São Bernardo do Campo/SP. Eu, Natália, desde que me casei, sempre fui fiel ao meu maridinho. Nos primeiros tempos, o amor do início da relação deixava em segundo lugar a satisfação na cama, mas depois de uns meses de casados comecei a perceber que o tamanho da rola dele era muito pequeno, algo em torno de 11cm e ainda é um pouco fina, isso faz muita diferença para mim, porque não me deixa preenchida atrás e muito menos na frente. Quando eu era solteira, só era degustada na bundinha por um namorado um pouco dotado que me fazia feliz na cama. A história que passo a contar ficou entre a família: Eu estava conversando com minha irmã Isadora e ela começou a me dizer que estava ocorrendo um problema com o noivo, me confidenciou que não conseguia dar o cu pra ele, pois ele é bem dotado, aí eu respondi: “O meu problema é o inverso do seu, mana”. Minha irmã me perguntou: O que você acha de nos ajudarmos? Você fica com o meu noivo e eu fico com seu marido, afinal eu me dou muito bem com ele. Engraçado que eu pensei a mesma coisa, mas teremos que preparar nossos homens. Fiquei pensando no meu futuro cunhado, além de bonito, ele é muito gostoso e tem uma conversa muito caliente, não pude esquecer como ele me encoxou gostoso numa noite de festa quando dançava comigo, parecia que estava querendo me possuir, fiquei com minha calcinha toda molhadinha com vontade de transar com ele.

Depois dessa conversa com minha irmã, comecei a imaginar como seria gostoso ser finalmente fodida por um pau grande que demora a amolecer e me deixe toda arrombada, acabei gozando só de pensar na rola do noivo da minha irmã.
A noite estava conversando com meu marido na cozinha: “Querido, posso lhe perguntar uma coisa?”
– “Sim, claro”.
– “Você gostaria de comer minha irmã?”
– “Nossa amor, você sabe que eu tenho um tesão por ela, mas porque a pergunta?”
– “Nada, estava apenas pensando e tendo algumas fantasias”
E aí meu maridinho me surpreendeu dizendo: “Eu também não me importaria se você desse para o noivo da sua irmã, você vai ter o que todas as mulheres querem, eu sei que ele é superdotado”.
– kkkkkk e como você sabe disso?
– “Um dia ouvi sua irmã no celular com uma amiga e ela dizia justamente sobre o dote de seu noivo”

Fiquei cheia de tesão, subi em cima da mesa e pedi para o meu maridinho traçar a minha bucetinha. Ele me puxou para a beirada da mesa, se agachou atrás de mim, passou várias vezes a língua no meu cuzinho e depois deu um trato na minha buceta.
Logo resolveu colocar a rolinha na minha bucetinha, devido ser fina, entrou sem fazer esforço, começou a meter e foi ai que pedi para ele colocar dois dedos junto com sua rolinha para me ajudar a atingir o ponto máximo pra gozar. Aquilo ficou gostoso, pensava no noivo da minha irmã e desta vez, meu marido demorou para gozar, o que prolongou meu prazer e acabamos gozando juntos. Eu tinha certeza que ele pensou na minha irmã enquanto me comia, mas não fiquei com ciúme, pois também pensava no outro e estava decidida a ir em frente pra ajudar a minha irmã e satisfazer o meu futuro cunhado. Eu já estava me imaginando como seria gostoso sentir a pica grossa do Lucas, preenchendo cada buraco meu e ficava cada vez mais com um tesão incontrolável, afinal, depois de quatro anos, iria gemer de prazer em outra piroca.

No final de semana, a Isa chegou com seu noivo para passar uma semana na minha casa, ela já tinha preparado seu noivo que iria rolar uma deliciosa troca de parceiros e o safado adorou a ideia. Eu estava com minha buceta cada vez mais molhadinha, meu cuzinho piscava só de pensar naquela rolona me estourando as pregas. Saímos da cozinha e fomos para a sala, depois de um tempo bebendo cerveja, me aproximei do Lucas e lhe beijei de língua, coloquei a mão em cima de sua bermuda e já deu para sentir todo o volume que me esperava e aí falei para minha irmã: “Não poupe meu maridinho, porque eu vou fazer tudo que tenho vontade com o seu noivo!” Ela respondeu: “Fique à vontade querida irmã, eu também não vou fazer doce com seu marido e vou me entregar sem limites”.

Como a gente tinha combinado de ficar em quartos separados para cada casal ficar mais a vontade, minha irmã apenas disse “até amanhã” para o Lucas e foi com o Ramon para o quarto de hóspedes. Eu ia meter com meu futuro cunhado no meu quarto, na cama que dormia com meu marido e isso me fascinava, a ideia que logo eu ia entrar na vara de outro macho me dava calafrios de prazer. Abaixei, fiquei ajoelhada e dei várias mordidas naquela pica por cima da roupa. Mandei ele se sentar na cama e comecei me despir, ele ficou me olhando, deixei cair meu vestido longo amarelo e fiquei só de calcinha, pois estava sem sutiã. Puxei ele pelo pescoço e ofereci os meus peitos durinhos para ele mamar gostoso. Sugou por uns dez minutos, fiz ele se abaixar e lamber minha bucetinha. Depois de um tempo, me ajoelhei sobre um travesseiro no chão e pedi pra ele ficar em pé, abri a bermuda abaixando junto com a cueca dele e fiquei deslumbrada quando vi aparecer uma pica enorme e linda. A pica era bem cabeçuda e logo na entrada já ia arregaçando com tudo. Agora eu sei porque a minha irmã pediu minha ajuda. Olhei e falei para Lucas: “Ele agora é todinho meu” e fui colocando as duas mãos na piroca que é três vezes maior que a rolinha fina do meu marido. Quando abri minha boca só consegui engolir metade do cacete do meu cunhadinho. Nesse instante, pedi para ele pegar meu celular e tirar uma foto para eu poder guardar esse momento único e mostrar para o corno! Depois de chupar aquela pica por quase dez minutos, tirei minha calcinha e mandei ele chupar bem gostoso o meu clitóris e a minha xota. Além de chupar muito bem, o safado metia dois dedos e roçava meu ponto G, não aguentei e lá se foi a primeira gozada da noite.

Olhei para o meu macho roludo e falei: “Quero começar dando o cú para você, estou cheia de tesão e já quero tudo lá no fundo”.  No momento, ele já segurou na minha bundinha e encostou a pica na portinha do meu cuzinho, a cabeça ia forçando minhas pregas e confesso que ardeu muito, mas a minha vontade de sentir a pica grande era muita e o choque só foi no começo. Ele estava empurrando com muito carinho e quando chegou na metade o tesão já tomava conta de mim. Rebolava e forçava para deixar entrar a outra metade e pedia para o safado meter tudo e com força.
– Ohhh… Como é bom dar o meu rabinho para você amor! Ele metia tudo e as vezes tirava para ver meu cuzinho todo aberto e em seguida socava tudo de uma só vez e com bastante força. – Ahhh… “Assim eu vou gozar de novo seu tarado”

Quando o meu futuro cunhado enfiou três dedos na minha bocetinha e logo alisou o bico do meu clitóris eu gritei de tanto prazer e tive um orgasmo tão profundo, que quase desmaiei de prazer. “Nossa você é demais amor, há muito tempo eu não fodia com um macho que tivesse tanto prazer em comer um cuzinho de uma mulher casada”. Ele recomeçou a meter e de repente foi a vez dele urrar e jogar todo seu esperma dentro do meu cu. Era tanta porra que encheu meu rabo e mesmo com aquela pica enorme socada dentro, a porra vazou de montão, quando ele tirou fez uma meleca na cama, nunca tinha visto tanta porra numa única ejaculada.

Fui ao banheiro para me limpar e passei pelo corredor, ouvindo deliciosos gemidos vindo do quanto onde estava meu marido e minha irmã. Na volta não pude conter minha curiosidade, a porta do quarto estava meio aberta e fui dar uma bisbilhotada.                                                                                          Para minha surpresa, ele estava comendo o rabinho dela e minha irmã dizia “Isso meu amor, me come seu gostoso, sempre esperei por esse dia! Em seguida ela completou: “Nossa querido, é a terceira vez que você come meu cuzinho. Você é muito tarado”
Ai eu pensei “Que filho da puta, comigo só dá uma bem rapidinha e logo vai dormir dizendo que está cansado” Voltei para o meu quarto para aproveitar melhor a noite e fazer mais sexo, pois era vez de levar aquela rola enorme na minha bucetinha.
Era enorme o tesão que eu sentia no meu corpo, minha bucetinha carente já soltava bastante leitinho e aquela rola ai abrindo o caminho e dizendo a que veio. Ele metia forte, tinha ritmo e sabia como usar sua ferramenta. Não tinha pressa, a rola ia deslizando pela minha buceta, ela falava putarias no meu ouvido, sentia aquela rola batendo no meu útero e delirava de tanto tesão. Resolvi cavalgar em cima dele, só que virei a bunda para seu rosto e subia e descia naquele mastro enorme e duro. O cara pirou, a visão da minha bunda foi demais e ele gozou dentro de mim. Era evidente o prazer que ele sentiu, eu também me senti feliz por ele, consegui lhe dar um prazer que ele até então não tinha provado. Ele me abraçou por trás com o pênis repousando dentro de mim. Adormeci com o meu futuro cunhado me dizendo que estava muito feliz por fazer parte da minha família, passei por um sono maravilhoso.

No outro dia, fodemos logo de manhã e gozamos gostoso, minha buceta vazava tanta porra então fomos tomar um banho. Saímos do banheiro e fomos para a cozinha, minha irmã e o meu marido já tinham preparado o café. Ela estava tomando café sentada no colo dele, só de calcinha e colocando pedaço de bolo na boca do safado. Cheguei, beijei eles e perguntei para a mana como foi a lua de mel. Ela me disse que foi maravilhoso, só estavam no começo e a semana seria longa e cheia de prazer. Aí ela perguntou: “E você com o meu noivo?” Respondi sorrindo: “Isso tu pergunta pra ele!” Aí o Lucas já respondeu: “Nunca imaginei que comer um cuzinho de uma mulher pudesse ser tão gostoso”. Isa disse: “Eu também fui enrabada três vezes e perdi a virgindade do meu cuzinho com amor, carinho e não precisei aguentar sua tora… adorei”
E como nós quatro adoramos a experiência e combinamos tão bem com os novos parceiros, me divorciei do meu marido, me casei com o noivo da minha irmã e minha irmã casou com o meu marido. Estamos felizes pelas nossas decisões, agora podemos ser fodidas bem gostoso e para sempre.

Outros contos...

Comentários (0)

Somente assinantes podem deixar comentários!

Assine ou faça login para poder comentar.
21
Atrações
109
HQs
133
Atrizes
462
Vídeos
4446
Fotos
...