Minha Gata é um Tesão

Olá, eu sou o Dante, e hoje vou contar uma aventura que tive quando conheci uma moça que, por falta de trabalho na área em que ela atuava, secretária de dentista, foi trabalhar na minha casa, o nome dela era Marcela. Quando nos conhecemos, havia pouco tempo que ela tinha terminado um relacionamento e ainda guardava uma grande mágoa do ex. Ela era muito bonita, morena de cabelos longos, com uma boca carnuda, seios grandes e as coxas grossas. Eu ficava observando ela passar de um lado para outro, vestida com roupas curtas que a valorizavam ainda mais. Em uma tarde, eu estava na sala tocando meu violão, quando a vi se aproximar de mim, ela sentou em uma poltrona e ficou me observando.

Foi a partir deste momento que eu percebi que uma forte atração nos unia. Eu era bem mais velho do que ela, com meus 29 anos já tinha ficado com muitas mulheres, ela, que tem 23, teve apenas um namorado, mas nada impedia que sentíssemos uma forte atração. Assim começamos a namorar, sem minha mãe saber. Era um namoro gostoso, muitos agarros, beijos e pegação. Minha mãe saía e logo estávamos nós dois no maior amasso. Ficamos três meses assim, sem sexo, sem penetração, só mão aqui e ali. Não aguentava mais de tanto me masturbar pensando na minha namorada gostosa. Mas um dia depois de namorar bem gostoso, eu a convenci para que fossemos até o quarto. Conversei e xavequei gostoso, dizendo que só faria o que ela permitisse. Ela ingênua topou, ou então estava com vontade, foi o que desconfiei. Eu esperei minha mãe dormir e fiquei observando a Marcela ir até o banheiro e logo voltar para o quarto, então me levantei da poltrona em que estava vendo televisão e fui junto.

E claro que deixei a TV ligada para que não percebessem minha ausência. Como um felino em busca da presa, eu fui, parei na porta, empurrei lentamente, e lá estava ela a minha espera, linda com uma camisa rosa, os cabelos soltos, recostada na cabeceira da cama, uma verdadeira Deusa do Olimpo, na hora senti uma forte ereção. Fui até ela e comecei a beijá-la, abaixei as alças da camisa, abocanhei um seio, ouvi um suspiro rouco bem próximo aos meus ouvidos e enlouqueci de tesão. Tirei minhas roupas apressadamente, fui por cima e minha boca passeava pelo corpo dela causando arrepios e gemidos. Mordiscava o clitóris dela fazendo com que se contorcesse na cama segurando por meus cabelos e me puxando como se quisesse que entrasse naquela xoxota meladinha de excitada.

Em um momento arqueei meu corpo, abri as pernas dela… guiei meu pau e comecei a meter, no início senti a xoxota bem apertadinha, mas logo ficamos acoplados como se fosse uma dança sincronizada, um vai e vem, um tira e bota, que parecíamos dois loucos em busca do prazer. Quando pedi para que ela ficasse de quatro, ela ligeiro ficou, mas na primeira investida a cama fez um barulho, logo ficamos quietos pois não poderíamos ser descobertos. Descemos da cama, colocamos o colchão no chão e recomeçamos. Fizemos uma infinidade de posições, Marcela deu o primeiro gozo na cabeça do meu cacete e senti como se ela estivesse ejaculando, uma sensação maravilhosa! Um prazer imenso, coisa que poucos têm o privilégio de sentir, quando recomecei a acelerar, já quase gozando, me veio a lembrança do contraceptivo e imediatamente tirei meu cacete de dentro e comecei a esporrar na bunda dela. Gozei muito, senti que gozava com tanta intensidade que as costas dela ficou salpicada do meu esperma. Marcela delirou de tesão.

Assim descansamos um pouco e voltamos em instantes a fazer novas posições, foram muitas e muitas vezes que fodemos,  a putinha adorava sentir meu cacete rasgando as carnes dela. Ela só era irredutível em fazer anal, mas eu nunca deixei de tentar. Eu a venci pelo cansaço e assim chegou o nosso dia, a primeira que vez fizemos anal. Foi maravilhoso, eu ansiava louco de tesão, já depois de oito meses de muitas tentativas e negativas, durante uma noite em que ambos estávamos em casa a sós, finalmente fui premiado com o desejado coito anal. Marcela só pediu que fosse cuidadoso, pois seria a primeira vez e afinal, meus 19 cm tem uma espessura fenomenal. Mas com jeito e lubrificante, soube dar e receber prazer da minha amada.  Assim fiquei mais de um ano transando só com ela. Então em um triste dia, ela foi embora morar com os parentes no interior. E depois de juras de amor eterno… Marcela partiu, ainda fui visitá-la no interior, mas a distância foi esfriando nosso relacionamento. Tanto eu como Marcela encontramos novos parceiros e nossa aventura teve fim, deixando apenas saudades dos momentos maravilhosos que vivenciamos.

Outros contos...

Comentários (0)

Somente assinantes podem deixar comentários!

Assine ou faça login para poder comentar.
21
Atrações
149
HQs
599
Vídeos
5085
Fotos
153
Atrizes
...